sexta-feira, 16 de novembro de 2012

▬ A Morte do Superman Vol.1 ( The Death of Superman)



Roteiro: Roger Stern, Dan Jurgens, Jerry Ordway e Louise Simonson 
Desenhos:  Dan Jurgens, Tom Grummet, Jon Bogdanove e Jackson Guice, Bret Breeding, Dennis Janke, Doug Hazlewood e Denis Rodier (arte-final)

Mito. Essa palavra pode ser capaz de mensurar o que o Superman representa, afinal, ele é o primeiro e maior herói de todos os tempos. Com poderes de um Deus, com um senso de ética e moral inabaláveis, justiça, força, e acima de tudo, alienígena, ainda assim, com todos os itens para ser o dono de um mundo, Clark Kent/Kal-el é o mais humano dos humanos. Aprendeu a bondade dos homens com seus pais adotivos Jonathan e Martha Kent. Ele já superou diversos vilões, situações catastróficas, mas sempre resistiu, afinal, ele é o Superman. Invencível?  Invulnerável? Nem tanto...

Uma equipe de roteiristas se propôs a algo ousado, matar o Superman. E na época em que essa idéia veio a tona, toda a mídia tratou de publicar algo a respeito. E não é a toa, matar um mito, a personificação do termo Super Herói, é uma proposta um tanto ousada.
Mas vamos ao encadernado! Nesse primeiro volume que a Panini nos trouxe, reúne 3 arcos: “A Morte do Superman”, “Funeral Para um Amigo” e o começo de “ O Retorno  do Superman” Agora um pouco de cada um.

- A Morte do Superman: Este primeiro arco tem como foco principal, como o próprio nome já diz o embate definitivo do homem de aço. Nele nos é apresentado a criatura chamada Apocalipse, que é dotado de uma força bruta invejável e uma sede de destruição insaciável. Logo ele sozinho derrota alguns dos membros da Liga da Justiça, e por onde passa deixando um rastro de destruição. Cabe então ao Superman, a missão de parar tal monstro.
As cenas de ação são bem construídas, e na mesma proporção são muito bem desenhadas. O Embate se estende por todo o estado até chegar em Metrópolis. Na maior parte do tempo, pode parecer apenas uma seqüência gratuita de pancada e destruição, mas de certa forma é realmente isso, só que conciliado a uma carga dramática, pois o invencível Superman diz em determinado momento: “Quanto mais eu bato nele, mais parece que eu me machuco.”, evidenciando o drama, do ser mais poderoso, e porque não, mais humano, ir tombando aos poucos enquanto luta para salvar a todos. A seqüência final do combate é emocionante, e culmina em uma das maiores tragédias do mundo dos heróis.

- Funeral para um Amigo: Após a tragédia, ocorre o funeral, no qual todos os heróis do universo DC prestam suas condolências ao maior herói de todos os tempos. Mas o maior destaque desse arco é como o mundo lida com a perda de seu herói. O mundo chora. Como serão as coisas daqui para frente? E nesse mundo, com certeza quem mais sente essa perda são os Kent e claro, Lois Lane. O drama que nos é apresentado, deles tentando lidar com a dor, tentando seguir suas vidas, recorrendo a lembranças e lágrimas é tocante, pois eles além de perderem o Superman, perderam ainda mais, pois Clark Kent se foi.


- O Retorno do Superman: Aqui vemos o mundo desolado sem o homem de aço, e com isso surgem quatro novos “heróis”, que tentam suprir essa falta, todos ostentando o título de Superman. Temos Aço, Erradicador, Super Cyborgue e Superboy. Cada qual é apresentado de uma maneira diferente, mostrando a diversidade entre eles, e claro, as diferenças junto ao Superman. São pequenas histórias separadas dos quatro, mas que se intercalam, pois o mundo começa a acreditar que o Superman voltou. E claro, deixa um gancho para a conclusão da saga da Morte do Superman no volume 2.


A Panini fez um ótimo trabalho. A edição definitiva volume 1 está caprichada, contém alguns extras bacanas. Leitura obrigatória para os fãs de HQs. Em breve estarei lendo o Volume 2.


" Hoje o mundo não perdeu só um Homem, mas um Super Homem."


4 comentários:

  1. Com certeza uma grande ousadia roteirizar essa história.Matar um herói tão reconhecido pelo público pode soar estranho aos fãs,mas confesso que ao mesmo tempo é interessante.
    Curto HQ e faz tempo que não leio,seria interessante retornar a ler com essa.
    Um forte abraço!

    Bruno
    http://oexploradorcultural.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. As vendas não iam bem, os roteiristas estavam em baixa com o Super, então resolveram fazer algo que trouxesse de novo a atenção dos fãs, e conseguiram.
    É bem interessante sim.

    Eu fiquei muito tempo mesmo sem ler HQ's, voltei faz uns dois anos, e de lá pra cá estou pegando encadernados, e algumas mensais com o reboot da DC, e tentando achar alguns clássicos para recuperar o tempo perdido.

    Volte a ler sim Bruno, a nona arte é incrível.

    Abraço. o/

    ResponderExcluir
  3. Muita gente gosta den descer a lenha nessa morte do Super. Li quando do lançamento pela Abril (três especiais em formato americano, um formatinho com emblema do Super se desmanchando e mais três formatinhos com o retorno). Na ápoca, gostei. Foi uma boa leitura em um dado momento de minha vida. Queria ter os encadernados da Panini, mas achei os preços salgados na época.

    Posso te sugerir algo? A retirada, em seu blog, desse verificador de palavras, para provar que não somos robôs...

    Abç!!!

    ResponderExcluir
  4. Muita gente critica mesmo Kleiton, mas eu gostei da história, porque ver o Superman caindo, e o mundo ficando desolado é bem interessante.
    E realmente o preço dos encadernados é meio salgado.. é que eu aproveitei o Fest Comix para comprá-los.( Assim o preço original era de 85,00, acabei pagando 60,00, mesmo ainda é um tanto salgado.. rs)

    Opa, obrigado pela dica Kleiton, irei fazer isso agora.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...